quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

2017 ESTÁ ACABANDO ...


Barbara Cole 

Meus amigos ,

O ano está terminando e , republico ,  por gostar demais ,
o poema        VAI , ANO VELHO  
do escritor e poeta Affonso Romano de Sant'Anna ,  
desejando a todos um 2018  com saúde , esperança , paz 
e muito amor .

Que possamos continuar  juntos no novo ano ,
repartindo  o que temos de melhor .

Beijo e abraço cada um 


" Vai ano velho , vai de vez 
vai com tuas dívidas  e dúvidas ,
vai dobra a esquina da sorte ,
e no trinta e um , à meia noite  esgota
o copo  e a culpa do que nem me lembro
e me cravou  entre janeiro e dezembro .

Vai , leva tudo :
destroços , ossos ,  fotos de presidentes ,
beijos de atrizes , enchentes , secas ,
suspiros , jornais .
Vade  retrum ,  para trás ,
leva  para a escuridão  quem me 
assaltou o carro , a casa e o coração .
Não quero te ver mais ,
só daqui  a  anos , nos anais ,
nas fotos do nunca mais .

Vem ano novo , vem veloz , 
vem em quadrigas , aladas , antigas 
ou jato de luz  moderna , vem , paira ,
desce , habita em  nós , 
vem com cavalhadas , folias , 
reisados , fitas multicolores , rebecas,
vem com uva e mel  e desperta em nosso
corpo  a alegria , escancara a alma ,
a poesia , e , por um instante , estanca
o verso real , perverso , e sacia em nós 
a fome de utopia .

Vem na areia da ampulheta  como a semente 
que contivesse outra semente ,que contivesse
outra semente ou pérola  na casca da ostra 
como se outra semente  pudesse nascer 
do corpo e mente  ou do umbigo da gente 
como o ovo , o Sol  e a gema do Ano Novo 
que rompesse a placenta da noite  em 
viva flor  luminescente .

Adeus tristeza :
a vida é uma caixa chinesa 
de onde brota a manhã .
Agora é recomeçar .
A utopia é urgente .
Entre flores de urânio 
é permitido sonhar . "

Som  na  caixa ...




  

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

O NATAL VEM CHEGANDO ...

Imagem  da net 

" À  meia noite no pasto 
guardando nossas vaquinhas 
um grande clarão no céu
guiou-nos a esta lapinha .
Achamos este Menino 
entre Maria e José ,
um menino tão formoso ,
precisa dizer quem é ?
Seu nome santo é Jesus ,
Filho de Deus muito amado,
 em sua caminha de cocho 
dormia bem sossegado .
Adoramos o Menino  
nascido em tanta pobreza 
e lhe oferecemos presentes 
de nossa pobre riqueza :
a nossa manta de pele ,
o nosso gorro de lã ,
nossa faquinha amolada ,
o nosso chá de hortelã .
Os anjos cantavam hinos 
cheios de vivas e améns .
A alegria era tão grande 
e nós cantamos também:
Que noite bonita é esta 
em que a vida fica mansa ,
em que tudo vira festa 
e o mundo inteiro descansa ?
Esta é uma noite encantada  ,
nunca assim aconteceu ,
os galos todos saudando :
O Menino Jesus nasceu ! "

Adélia Prado , no poema 
Cantiga dos Pastores 

Desejo a  vocês , amigos queridos , 
um Natal de bençãos , alegria e paz .
Beijos

Som na caixa ...



domingo, 10 de dezembro de 2017

97 º ANIVERSÁRIO DE CLARICE LISPECTOR

Duy Huynh

" Sendo este um jornal por excelência , e
por excelência dos precisa-se  e oferece-se ,
vou pôr um anúncio em negrito :
precisa-se  de alguém  homem ou mulher 
que ajude uma pessoa a ficar contente porque 
esta está tão contente que não pode ficar sozinha
com a alegria , e precisa reparti-la .
Paga-se extraordinariamente  bem :
minuto por minuto paga-se com a própria
alegria . É urgente pois a alegria dessa pessoa 
é fugaz como estrelas cadentes , que  até parece
que só se as viu depois que tombaram ;
precisa-se urgente antes da noite cair porque 
a noite é muito perigosa e nenhuma ajuda é 
possível e fica tarde demais . Essa pessoa que 
atende ao anúncio só tem folga depois que passa 
o horror do domingo que fere . Não faz mal que
venha uma pessoa triste porque a alegria que se
dá é tão grande que se tem que a repartir antes
que se transforme em drama . Implora-se também 
que venha , implora-se com a humildade da 
alegria -sem- motivo .
 Em troca oferece-se também uma casa 
 com todas as luzes acesas como numa festa
de bailarinos . Dá-se o direito de dispor da copa e da
cozinha , e da sala de estar.
PS . Não  se precisa de prática . E se pede desculpa
por estar num anúncio  a dilacerar os outros .
Mas juro que há em meu rosto sério uma alegria
até mesmo divina para dar ."

Clarice Lispector , 
 na crônica " Precisa-se  ",
encontrada no livro ,
 " A descoberta do mundo "  .    

Som  na  caixa ...

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

PESSOA , sempre ....

Chelin  SanJuan


" Toda a vida é um sonho.
Ninguém sabe o que faz , ninguém sabe 
o que quer , ninguém sabe o que sabe .
Dormimos a vida , eternas crianças
do Destino ."

" Sou o intervalo entre o que sou 
e o que não sou , entre o que   sonho
e o que a vida fez de mim ."

" Entre mim e a vida  há um vidro tênue .
Por mais nitidamente  que eu veja  e
compreenda  a vida , eu não lhe posso tocar ."

" Assim como lavamos o corpo deveríamos
lavar o destino , mudar de vida  como 
mudamos de roupa ."  

Livro do desassossego , Bernardo Soares 

Som  na  caixa ...




domingo, 5 de novembro de 2017

CAIO FERNANDO ABREU

Jinchul  Kim 

" Com  a lucidez dos embriagados  haviam-se
reconhecido  desde o primeiro momento .
Ou talvez estivessem realmente destinados 
um ao outro , e mesmo sem álcool , numa  rua
repleta  saberiam encontrar-se .
O fulgor nos olhos e a incerteza intensificada
nos passos fora a pergunta  de um 
e  a resposta do outro "

in , O inventário do Ir-remediável 

Som  na  Caixa ...  



domingo, 8 de outubro de 2017

TEMPO DE CURA

Mary Jane Q. Cross 

Meus queridos ,

Minha atribulada vida profissional não tem
me permitido visitar seus espaços que são
 alimentos  de beleza e paz .
Também , não tenho conseguido postar textos e poemas
que gosto  e espero que tudo logo se normalize .
No último  mês de agosto ,  minha amiga , médica e 
psicoterapeuta , Dra. Cristiane Marino , detentora
do blog " Mulheres em Círculo " publicou o poema
da escritora americana   Pesha Joyce Gertlher 
que me tocou  bastante .
Assim ,  partilho com  vocês o  
  Tempo de Cura .

" Finalmente no meu caminho 
para o  Sim ,

Deparei-me com todos os lugares 
onde disse Não  para minha vida .

Encontrei  as feridas não cuidadas 
e as cicatrizes vermelhas e roxas ,
aqueles hieróglifos de dor 
esculpidos em minha pele
e  em meus ossos .

Aquelas mensagens codificadas
que me desviaram para o caminho errado
muitas e muitas vezes .

Quando encontrei 
as velhas feridas ,
os velhos desvios ,
eu os levei um a um 
perto do meu coração, 
e abençoei : Sagradas , 
Sagrados ."

Som  na caixa ...






quinta-feira, 21 de setembro de 2017

VEM CHEGANDO A PRIMAVERA

imagem da net 


O início da primavera ,  aqui no hemisfério sul , 
 começa  às 17:02  do dia 22 de setembro de 2017
 e termina em 21 de dezembro de 2017 .

Partilho com vocês poema de Flora Figueiredo ,
 Vem Chegando a Primavera  .

"  Destampo o silêncio ,
recolho o recato ,
escondo meus medos embaixo  da sola do sapato .

Guardo o calmante no armarinho ,
dobro o resguardo ,
afrouxo o botão do colarinho .

Ponho para quarar meu coração,
desidratado de tanto chorar .

Varro a calçada
das dores de antigas madrugadas ,
abro a porta da frente .

Se alguém tiver um sorriso pra me dar ,
por favor , que venha .
Limpe os pés e se apresente ." 

Som  na  Caixa ...



terça-feira, 5 de setembro de 2017

SETEMBRO

Adrian  Gomez  

" Setembro é frágil como porcelana .

Sua fragilidade é sua força .
Sua secreta força .
Sua ostensiva beleza .

Setembro dorme todo setembro .
Seu sono tem um sonho 
que ele não revela
( Só muito depois ,
talvez nos fins de dezembro )

Mas o seu sonho é azul , 
sabe-se por seu sorriso .

Ele é fino e sutil :
entra por uma fresta.
Na casa , ou no coração 
na alma , no corpo ,
pouco importa . É uma fresta 
e ele entra ,
ele dança ,
ele ri , ele canta ,
é setembro ele canta . "

Daniel Lima 
in , " Poemas "

Som  na  caixa ...

   

sábado, 12 de agosto de 2017

ANTONIO CÍCERO


Na tarde da  última quinta -feira , dia 10 de agosto , 
a ACADEMIA BRASILEIRA  DE LETRAS ( ABL)
elegeu  o novo ocupante da Cadeira 27  da instituição :
o poeta , filósofo e compositor Antonio Cícero .
Formado em filosofia pela University  College London ,
da Universidade de Londres , também vive o ofício
da escrita . 
Carioca  nascido em 1945 , Cícero lançou recentemente 
a coletânea de ensaios " A Poesia e a Crítica " ( 2017 ),
que analisa  aspectos da poesia e da cultura contemporânea .
O autor também já publicou outros três livros de ensaios .
Lançou livros de poemas como " Guardar "  e a
" Cidade e os livros ."
Fora do meio literário , o nome do escritor ficou
conhecido  por volta dos fins de 1970 em razão de
parceria musical  com sua irmã Marina Lima .
Cabe , lembrar , que a parceria com a irmã
começou quando a artista decidiu  musicar poemas 
de Cícero  à revelia do irmão .
Cícero gostou do que ouviu e as palavras 
do poeta  começaram a ser cada vez mais
cantadas  pelo Brasil , já que , a partir  de então ,
o poeta virou compositor  e letrista de música pop . 
Nas palavras do jornalista carioca  Mauro Ferreira :
" Guardadas as devidas proporções , 
a eleição do poeta e compositor  significa  para o 
universo pop brasileiro  o que representou para 
a canção norte-americana  o anúncio em 2016
de que  o Prêmio Nobel de Literatura  seria concedido
ao compositor  norte-americano Bob Dylan .
Tanto a eleição de Cícero como a premiação de Dylan
simbolizam reconhecimento do meio acadêmico 
literário  de que há escrita inteligente  no mundo
da música  pop . "

Som  na caixa 





  

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

MÚSICA DE HOJE ...

                                         
                                              10 de Agosto era dia de risos .
                                              Havia bolo , doces e velinhas .
                                              Era seu aniversário .
                                              Há cinco anos , seu lugar à mesa está vazio .                                                                                       10 de Agosto , agora , é dia de saudade .
                                                                    
                                                                Muitos beijos,  Papai !                                             

domingo, 30 de julho de 2017

ETERNAMENTE

Mark  Keller 

"  E escrevi  o teu nome e o teu número de telefone 
numa página da agenda  de Fevereiro .
E , ao escrevê-lo , sabia que era uma despedida ,
mas todo o mês de Março nos arrastamos  na
despedida ,  como caranguejos na maré vazia .
Sem ti , lancei  outras raízes , construí pátios  e
terraços , fontes cujo som deveria apagar todos
os silêncios , plantei um pomar com cheiro a damasco ,
mandei  fazer um banco de cal  à roda de uma árvore    
para olhar as estrelas do céu , um caminho  no meio
do olival  por onde o luar pousaria à noite , 
abóbadas de tijolo  imaginadas pelo mais sábio 
dos arquitetos  e até teias de aranha  suspensas
do teto , como se vigiassem  a passagem do tempo .
Nada disso  tu viste ,  nada te contei , nada é teu .
Sozinhos , eu e a aranha  pendurada na sua teia ,
contemplamo-nos  longamente ,
 como quem  se descobre   ,
como quem se recolhe ,
como quem se esconde .
Foi assim que vi  desfilar os anos ,
as paredes escurecendo ,
um pó de tijolo  pousando entre as páginas 
dos mesmos livros  que fui lendo , repetidamente .

( ... )

E arranquei a página da agenda  com o teu 
nome  e o teu número de telefone .
Veio a seguir Abril e depois o Verão .
Vi nascer  a flor da tremocilha e das buganvílias
adormecidas , vi rebentar o azul dos jacarandás 
em Junho , vi noites de lua cheia  em que todos
os animais noturnos se chamavam rãs ,
corujas e grilos ,  e um espesso calor sobre
a devassidão da cidade .
E já nada disto ,  juro , era teu .   
E foi assim que descobri  que todas as 
coisas continuam para sempre , 
como um rio  que corre ininterruptamente 
para o mar , por mais que façam para o deter . 

( ...)

E a tua voz  ouço-a agora , vinda de longe , 
como o som do mar  imaginado dentro 
de um búzio .  Vejo-te através da espuma
quebrada na areia das praias , num mar 
de Setembro , com cheiro a algas e a iodo .
E de novo acredito que nada do que é 
importante  se perde verdadeiramente .
Apenas nos iludimos , julgando ser donos
das coisas , dos instantes  e dos outros .
Comigo caminham todos os mortos que amei ,
todos os amigos que se afastaram , 
todos  os dias felizes que se apagaram .
Não perdi nada , apenas a ilusão de que 
tudo  podia ser meu para sempre . "

Miguel Souza Tavares ,
no texto , " Eternamente " ,
 contido no livro
 " Não te deixarei morrer, David  Crockett "

Som  na  Caixa ...


sábado, 22 de julho de 2017

QUE PRESENTE TE DAR ?

Oliver  Ray 

(  ... )

"  Te  dar um olhar , não aquele olhar distraído ,
alienado  de quem está nas coisas prosaicas 
perdido , mas um olhar de quem chegou inteiro
e que se entrega enternecido  e desamparado
dizendo : olha sou teu , 
agora veja o que vai fazer comigo ! "

Affonso Romano de Sant'Anna 
na crônica " Que presente te dar "

Som  na Caixa ...   



domingo, 9 de julho de 2017

LYGIA FAGUNDES TELLES

Anna & Elena  Balbusso 

Após  30 dias longe daqui e do espaço de vocês ,
devido a trabalho árduo , estou voltando .
Partilho neste reencontro  , texto da escritora
 Lygia Fagundes Telles , que  do alto de seus 94 anos , 
 continua firme , lúcida e sonhadora , 
como convém a todos nós .

" Me alinhei ao lado dos humildes   e descobri
que não era bastante  humilde para ficar ao lado
deles , falsa a minha curvatura , falso o despojamento .
Me alinhei ao lado dos fortes e vi que não era
suficientemente  forte para sustentar por mais
tempo  aquela arrogância , representava planar
sobre os outros  porque acreditei que assim não
seria esmagada pelo rolo compressor .
Teria que subir acima deste rolo , pisar nele
- ah , meu Deus , mas era isso o que eu queria ?
Não , também não era isso .
Quis  ficar só para ser verdadeira , 
agora  queria apenas ficar só e então sonhei 
que era uma rainha num coche desgovernado ,
em vão chamei por alguém  que eu sabia
 por perto  , onde ?
E o coche rodando para trás , para os lados ,
sem cavalos  e sem cocheiro .
Consegui descer e encontrei uma gata cor de mel 
com seu gatinho , me  aproximei enternecida ,
e o pai ?  perguntei e apareceu um leão de juba
desgrenhada e olhar de pedra .
Corri , tinha uma mulher na casa mas a mulher
gesticulava  e não podia fazer nada enquanto o 
leão ia fechando o cerco , acordei com as pisadas
na minha retaguarda .
Mas quem  me detesta  tanto assim  para me 
atacar  até no sonho ?     quis  saber e  nesse
 instante   vi  minha imagem refletida no    espelho . "

in , " A Disciplina do Amor "

Som  na  caixa ...





sábado, 10 de junho de 2017

FIOS DE SEDA

Julmard  Vicent 

" Sempre acreditei que da minha boca  
 saíam  apenas palavras  , e que só elas 
podiam apaziguar a minha morte .
Hoje sei que da minha boca sai um fio, 
transparente e tenaz como uma  insônia  
que te amarrou à  minha vida para sempre ."

Amalia Bautista 

Som  na  caixa ...


quarta-feira, 31 de maio de 2017

NO FINAL DA VIAGEM

Barbara Issa Wagnerovà 

" ... E no final da viagem , essa lição de ternura e 
compreensão , que me marcará a alma até o 
último  instante desta aventura no tempo :
sempre algo de bom ficou , de mim ,
nos que me conheceram ;
sempre algo de bom ficou , em mim ,
de tudo que conheci .
O nome desta coisa tão simples e verdadeira 
é alegria .
 E ela é a razão de ser da  própria vida .
Meus amigos , valeu !"

Daniel Lima 
in " Poemas "

Som  na  caixa ... 

quarta-feira, 10 de maio de 2017

ANIVERSÁRIO


Há  sete anos  nascia este blog com o intuito 
de  repartir com os amigos ,   poesia e prosa que
eu guardava nos cadernos da vida .
Com o tempo ,  acrescentei música e fui  partilhando 
 textos  de autores que acabara de conhecer .
Fiquei perplexa quando constatei a presença 
de vários artistas neste espaço .
Poetas , escritores , professores , fotógrafos , pintores ,
entre outros , estavam me acompanhando .
Mergulhei em cada publicação de vocês 
e cresci  bastante .
Estamos  juntos durante estes anos ,
nos visitando  e nos  acarinhando ,
seja por nosso  trabalho , nascimento  e  casamento ,
 de filhos e netos ,viagens , livros publicados , 
  e tudo que ocorre a nossa volta .
Num mundo tão violento e hostil , 
saber que  pertencemos a  
estas ilhas de doçura é uma benção .
Agradeço muito  a vocês .
Partilho , uma vez mais , o poema
GUARDAR , de António Cícero que 
sintetiza , a meu  sentir , o que fazemos .
Beijos  

" Guardar uma coisa não é escondê-la 
ou trancá-la .
Em cofre não se guarda coisa alguma .
Em cofre perde-se a coisa à vista .
Guardar uma coisa é olhá-la , fitá-la ,
mirá-la por admirá-la , isto é ,
iluminá-la  ou ser por ela iluminado .
Guardar uma coisa é vigiá-la , isto é ,
fazer vigília  por ela , isto  é ,
velar por ela , isto é , estar acordado 
por ela , isto é , estar por ela ou ser por ela .
Por isso se escreve , por isso  se diz ,
por isso se publica , por isso se declara e
declama um poema :
Para guardá-lo :
Para que ele , por sua vez ,
guarde o que guarda :
Guarde o que quer guardar um poema :
Por isso  o lance do poema :
Por guardar-se o que se quer guardar . "

Som  na  caixa ...  


quinta-feira, 27 de abril de 2017

ANSEIOS

Jean Paul Nacivet

" Só quero lembrar
se o tempo for todo meu .

Só anseio lembrança
se não houver passado .

Bruma e espuma ,
apagam o tempo que não amei .

E eu amei 
para ser tudo , todos ,  sempre .

Para te visitar
esquecerei a terra
e apagarei as estrelas .

E irei pelos teus olhos,
até o mundo voltar a ter princípio .

Sou eu , dirás ,
E o tempo será lembrado ."

Mia Couto 
in , Tradutor de Chuvas "

Som  na  caixa ...

.






sábado, 8 de abril de 2017

A PÁSCOA VEM CHEGANDO ...

Giotto 

( ... )


 " Quem  deseja Feliz Páscoa , deseja ao outro 
uma ressurreição .
Deseja que o que morreu  de cansaço ou de tédio 
ressuscite , que os desiludidos  recuperem o ânimo ,
que os desesperados esperem uma vez mais
 pela última vez   , que quem calou assovie , 
que os amargos tenham um súbito  ímpeto
de doçura , que os suicidas suspendam os gestos 
e os assassinos  petrificados se arrependam .
Feliz Páscoa , responde o outro ,
o corpo invisível , o corpo dos desejos subindo
aos céus , anunciando que um outro mundo
existe porque é nele que moramos em sonhos ,
sem cruz , sem calvário, sem sangue , 
onde uns amam os outros , 
um pedaço de pão  e um copo de vinho ,
amigos em volta , a fé no futuro ,
um projeto de vida  e a certeza-
- ah , que certeza -
de que um pai onipotente zela por nós 
e jamais nos abandonará . "

Rosiska Darcy de Oliveira  
na crônica ,"  O condenado à vida "

 No próximo domingo ,
16 de abril , comemoraremos
a Páscoa .
Desde já ,  desejo a todos
vocês ,  queridos amigos , 
que ela seja alegre e abençoada .
FELIZ PÁSCOA   !


Som na caixa ...



segunda-feira, 20 de março de 2017

CANÇÃO DE OUTONO

Leonid  Afremov 

 Hoje ,  20 de março , às 07:20 horas ,
 aqui no no hemisfério sul , começou o outono .
Partilho com vocês poema de Cecília Meireles que 
nos fala de folhas  e  de outono , mas também ,
de amor , tristeza e saudade .

" Perdoa-me , folha seca ,
não  posso cuidar de ti .
Vim para  amar neste mundo ,
e até do amor me perdi .
De que serviu tecer flores
pelas areais do chão 
se havia gente dormindo 
sobre o próprio coração ?

E não pude levantá-la ! 
Choro pelo que não fiz .
E pela minha fraqueza 
é que sou triste e infeliz .
Perdoa-me , folha seca ! 
Meus olhos sem força estão 
velando e rogando aqueles 
que não se levantarão ...

Tu és folha de outono 
voante pelo jardim .
Deixo-te  minha saudade 
- a melhor parte de mim .
E vou por este caminho,
certa de que tudo é vão .
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão ..."

Cecília Meireles 

Som  na  caixa ...



domingo, 12 de março de 2017

CLARICE LISPECTOR , SEMPRE

Anna  &  Elena  Balbusso 

Leio e releio Clarice .
Assim , partilho com vocês , uma vez mais ,
a crônica  "POR NÃO ESTAREM DISTRAÍDOS" ,
contida  no livro  ,
 " A DESCOBERTA DO MUNDO"
que publiquei em outubro de 2014 .

" Havia a levíssima embriaguez  de andarem juntos ,
a alegria  como quando se sente  a garganta  um
pouco seca  e se vê que , por admiração , 
se estava de boca  entreaberta :
eles respiravam de antemão  o ar que estava
à frente  , e ter esta sede  era a própria água deles .
Andavam por ruas  e ruas falando e rindo, 
falavam e riam  para dar matéria e  peso à levíssima
embriaguez  que era a alegria da sede deles .
Por causa  de carros e pessoas , às vezes eles
se tocavam , e ao toque - a sede é a graça ,
mas as águas  são uma beleza de escuras - e ao
toque  brilhava o brilho da água deles , 
a boca ficando um pouco mais seca de admiração .
Como eles admiravam estarem juntos !
Até que tudo se transformou  em não .
Tudo se transformou em não quando eles quiseram
a mesma alegria deles .
Então a grande dança dos erros .
O cerimonial das palavras desconcertadas .
Ele procurava e não via, ela não via 
que ele não vira , ela que ,
estava ali , no entanto .
No entanto ele que estava ali .
Tudo errou , e havia a grande poeira das ruas ,
e quanto mais erravam , mais com aspereza queriam ,
sem um sorriso .
Tudo só porque  tinham prestado atenção ,
só porque  não  estavam bastante distraídos .
Só porque , de súbito exigentes e duros  ,
quiseram ter o que já tinham .
Tudo porque quiseram dar um nome ;
porque quiseram ser , eles que já eram .
Foram então aprender que , 
não se estando distraído ,
o telefone não toca ,
e é preciso sair de casa 
para que a carta chegue ,
e quando o telefone toca ,
o deserto da espera já cortou os fios .
Tudo , tudo por não estarem mais distraídos ."

Clarice Lispector 

Som  na  caixa ...